Home
Como Baixar
VSTs
ÁREA VIP
Novidades
Releases liberados
FAQ
Uploaders
Matérias
Crie sua conta
Perfil
Buscar
Siga-nos no Twitter
Vídeo Aulas de FL Studio

Conhecendo melhor o Cubase

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O que você achou dessa matéria?

39% 39% 
[ 27 ]
28% 28% 
[ 19 ]
0% 0% 
[ 0 ]
6% 6% 
[ 4 ]
1% 1% 
[ 1 ]
1% 1% 
[ 1 ]
1% 1% 
[ 1 ]
0% 0% 
[ 0 ]
22% 22% 
[ 15 ]
0% 0% 
[ 0 ]
1% 1% 
[ 1 ]
 
Total dos votos : 69
30082008

Mensagem 

default Conhecendo melhor o Cubase






Olá, membros do fórum Áudio Brasil!

E aqui vamos nós com a segunda super matéria do fórum - "Conhecendo melhor o Cubase" - assunto vencedor de nossa pesquisa com 141 votos de um total de 469.

Se você votou em outro programa, não fique chateado, em breve a gente faz um rolê pelo bendito, tá bom?

Antes de começar, é bom lembrar que o Cubase, apesar de ser um programa muito completo, é também bem pesadinho e um pouco "durão" em certas coisas. Nós do Áudio Brasil já usamos muito o Cubase porém, hoje em dia, não trocamos o Reaper por nada. Então se você ainda não tem um programa preferido e está pensando em pegar o Cubase por ser um dos "famosos", cuidado, às vezes o mais famoso não é a melhor opção - principalmente pra quem está começando.

Outra coisa importante: O Nuendo e o Cubase são praticamente iguais. A diferença é que o Nuendo tem alguns recursos a mais para video e algumas opções extras de roteamento de sinal, fora isso, é a merrrrma coisa. Tanto que é comum o povo chamar a dupla de "Cubendo". Então, se você quer saber mais sobre o Nuendo, essa matéria é pra você também.

Bom, não vamos explicar aqui todas as funções do Cubase. Abordaremos os recursos principais e mais usados, funções que praticamente todo programa de criação de áudio tem. Assim, uma vez que você entenda o esquema geral da coisa, vai ser muito mais fácil usar outros programas do mesmo estilo.

Usaremos a versão portátil do Cubase Studio 4 para fazer essa matéria. Essa versão não é muito estável, estamos usando só porque não precisaremos instalar nada, já que é portátil. A versão mais estável é a que temos disponível no fórum Steinberg Cubase SX v3.1.1.944-H2O. As diferenças entre uma e outra não são tão grandes, então você não terá dificuldades em acompanhar, mesmo que esteja usando uma versão mais antiga do Cubase.

É isso ae, vamos ao que interessa!


1. Criando um novo projeto

Abra o Cubase e crie um novo projeto

vá no menu File --> New Project / ou use o atalho --> CNTRL + N

Vai aparecer uma janelinha de templates, selecione "Empty" para criar um projeto vazio e clique em "OK"



Em seguida você deve escolher uma pasta que será usada para salvar os arquivos do seu projeto. Escolha e dê um "OK"



2. Configurando placa de som

É sempre bom checar a configuração para garantir um melhor desempenho ou simplesmente, para sair algum som!

vá no menu "Devices" --> "Device setup..."

Clique em "VST Audio System", selecione sua placa ao lado e dê um "OK"

*DICA: se você usa placa de som 'onboard' ou qualquer outra que não seja própria para criação de áudio (tipo SBlive, Creative etc) recomendamos usar o driver ASIO4ALL - que melhora um pouco o desempenho. Você pode baixar gratuitamente o ASIO4ALL aqui -> http://superdownloads.uol.com.br/busca/asio4all.html
Caso você for usar o ASIO4ALL, instale o danado, reinicie o Cubase e repita a etapa de configuração, selecionando o ASIO4ALL.




3. Criando pistas

Muito bem, vamos criar algumas pistas que essa tela vazia está muito sem graça.

Vá no menu 'Project' ---> 'Add Track' --> e escolha 'MIDI'

Isso vai criar uma pista MIDI no seu projeto. Se tudo der certo você verá algo assim:



Antes de mais nada, vamos dar um nome para nossa pista. Clique 2 vezes onde está escrito "MIDI 01" e escreva lá "Bateria".

Vamos usar essa pista MIDI que acabamos de criar para controlar um VST de bateria. Pra quem ainda não sabe, os instrumentos VSTs precisam de pistas midis para funcionar. Um não vive sem o outro, é igual na musiquinha do Claudinho e Buchecha que a Adriana Calcanhoto canta, sabe? "Avião sem asa, VST sem midi, Sou eu assim sem você." Pois é, é bem isso.

Sendo assim, nada mais justo que chamarmos um instrumento VST pra brincadeira, certo?



4. Carregando um instrumento VST

Vá no menu 'Devices' ---> 'VST Instruments' | ou use o atalho 'F11'

Uma janelinha muito simpática vai aparecer. Diga oi pra ela.



Clique no primeiro 'slot' - não, não é aquele do Goonies - e escolha um VST de bateria. Nós vamos usar o Addictive Drums [ disponível para download aqui no fórum -> clique aqui ]

*SE LIGA: vale lembrar que os plugins que estarão disponíveis na lista são os que você tem instalados no seu computador, o Addictive Drums não vêm junto com o Cubase, por exemplo. Se não me engano, o Cubase SX vem com um VST de bateria - é o LM7, mas eu posso estar enganado.

Bom, pode fechar a janela do Addictive Drums (ou do outro plugin que você escolheu) que vai aparecer e vamos dar uma olhada nas pistas.

Agora além da pista midi "Bateria" apareceram outras geringonças, veja só:



Repare que você pode alterar a altura e largura das pistas. Faça os ajustes necessários para que você possa ver todos os parâmetros disponíveis. É só chegar com o mouse no cantinho que a seta se transforma naquele cursor de 'mudar o tamanho'.

Aí na imagem onde está grifado 'Addictive Drums' é o campo 'Midi Out'. É ele que diz à pista midi para onde ela deve enviar as informações. Provavelmente, o seu ainda está em 'Not Connected'. Clique lá e selecione o plugin de bateria que você está usando para que a pista midi possa efetivamente controlar o tal.

Maravilha, agora sim os 2 estão conectados, em sintonia, na mesma vibe, manja?


5. Criando uma parte MIDI


Agora que os 2 pombinhos já se juntaram é hora de alguma ação. Hummmmmmmmmmm

Vamos então criar uma parte midi com as tais informações que vão controlar os sons do plugin, que, no caso, será um rítmo.

Pra isso, clique em cima da 'régua' e arraste o mouse para baixo - devagar - até que o número 2 esteja visível. Se passar do ponto, clique e arraste para cima. Esse é um dos jeitos de usar o ZOOM IN e ZOOM OUT no Cubase.

Na sequência, segure o 'ALT' e clique no número 2 para criar uma seleção. Se tudo deu certo, você está vendo algo assim:



Beleza. Agora é só clicar 2 vezes no meio dessa parte azul, em frente à pista midi para criar uma parte:




Sensacional, Juvenal. Clique 2 vezes sobre a parte que você acabou de criar para entrar dentro da bendita.




Se você já usou o Fruity Loops, essa tela deve ser familiar aos seus olhos que a terra há de comer. É o famoso "Piano Roll". Clique sobre as teclas e do piano e você ouvirá os sons do plugin, no nosso caso do Addictive Drums.

O Piano Roll é ótimo para criar melodias e harmonias mas, para rítmos é melhor usarmos outra visualização. Pode fechar essa janela. Agora clique no 'botãozinho da baqueta', também conhecido como 'Drum Map', selecione 'GM MAP' e volte lá pra dentro da parte midi.





Veja como as coisas mudaram um pouco. No lugar das teclas de piano temos agora os nomes de cada som da bateria. Facilitou, hein?

Porém, vale lembrar que esse é um 'mapa genérico' e alguns nomes podem não corresponder exatamente aos sons do plugin. Isso não é um problema, já que você pode renomear todos os sons, se achar necessário, e salvar seu próprio mapa para usar em outras ocasiões.

Beleza, vamos desenhar um ritmo então. Para isso, selecione a ferramenta da 'Baqueta' - você pode clicar com o botão direito e escolher 'Drumstick' ou clicar direto no botãozinho da baqueta:



Agora é mole. Clique em qualquer parte da grade para desenhar o rítmo.

Para facilitar mais ainda, vamos loopar essa parte e ouvir o ritmo à medida que o criamos.
Clique no botão 'Cycle' que fica na barra de controle para ativar o Loop ( se a barra não estiver visível, aperte F2 )



Depois, clique no 'PLAY' ou aperte 'Barra de Espaço' para começar a tocar

Fizemos aqui um rítmo bem simples, se quiser copiar, fique avonts:



Assim que você estiver feliz com seu rítmo, feche essa janela e vamos em frente que atrás tá quente! oloco!


6. Manipulando partes


Muito bem, Arakem. Já temos uma parte, vamos ver como podemos manipulá-la-la-la Bamba.

• Duplicando

Segure o 'ALT' + clique sobre a parte, arraste e solte. Voilá! Clone instantâneo de fazer inveja a qualquer Dolly.



• Criando várias cópias

Segure o 'ALT', aproxime o cursor do canto inferior direito até o ponteiro se transformar num lápis

Clique (dentro da parte) e arraste até onde você quiser. Várias irmãs gêmeas surgiram assim que você soltar o mouse.





• Cortando

Selecione a ferramenta 'Tesoura' e clique onde você quer cortar

*DICA: verifique se o 'SNAP' está ligado. 'SNAP' é tipo um "alinhar à grade" e dependendo das configurações, pode impedir você de cortar exatamente onde você quer. Clique no botão de 'SNAP' para desativá-lo antes de fazer o corte. O símbolo do snap é assim ">|<"




• Colando

Selecione a ferramenta 'Cola' e clique na parte que foi cortada. Tudo volta a ser como era antes. Ah, bons tempos aqueles!



• Apagando

Selecione a ferramenta 'Borracha' e clique sobre a parte. Pronto, já era.
Lembrando que você pode simplesmente selecionar a parte e apertar delete também <- bem mais fácil! Mas, no caso, dê um Control+Z para restaurar a parte que você apagou.




• Zoomzando

Além de clicar e arrastar sobre a régua, você pode usar a ferramenta de Zoom para aproximar a visão das partes. Selecione a ferramenta, clique para aumentar, clique com o ALT pressionado para reduzir.




• Mutando

Uau! Vamos transformar a parte numa X-parte?! Não, apesar do termo 'Mutando' não é de mutação que estamos falando e sim de acionar o MUTE.
Selecione a ferramenta e clique sobre a parte que você quer calar.



• Colorindo

Você pode escolher cores diferentes para as partes. Isso é muito útil!
Selecione o 'Baldinho', escolha uma cor cliando no tracinho embaixo dele e clique na parte que você quer colorir



Chega de manipulação! Vamos brincar um pouco com áudio agora.

[palavras-chave: cubase, tutorial, guia, básico, como usar, conhecendo, dicas, vsts, gravando, home studio, loop, aprendendo ]


Última edição por kitty em Sab Ago 30, 2008 9:07 pm, editado 1 vez(es)

kitty
Admin

Número de Mensagens: 173
uma verdade:: o planeta está vivo
uma música boa:: sinnerman
uma música ruim:: qq uma do manowar
-:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Compartilhar este artigo em: BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Conhecendo melhor o Cubase :: Comentários

Mensagem em Sab Ago 30, 2008 8:55 pm por kitty

7. Criando uma pista de áudio e checando níveis de entrada

O processo é o mesmo usado para criar uma pista midi

Vá no menu 'Project' ---> Add track --> Audio

*DICA: Você também pode clicar com o botão direito embaixo das outras pistas e escolher 'Add Audio Track' <-- Mais rápido!

Uma janela aparecerá perguntando se você quer uma pista Stereo ou Mono. Aqui nós vamos usar uma Mono.

Renomeie a pista de áudio que você criou para "Vocal" - vamos gravar qualquer bobagem com nossa voz aqui.

Para isso, temos que verificar se o INPUT - que é por onde o sinal entra - está correto. Dê uma olhada no painel de controle das pistas que fica à esquerda da tela:



Aqui no nosso caso, estamos usando o canal da esquerda (LEFT) como nosso Input. Você deve escolher o canal que corresponde a entrada de sua placa de som.

Você pode verificar se está chegando sinal clicando no 'botãzinho do falante' (monitor) da pista de áudio:



Repare nas barrinhas azuis, elas indicam o nível do sinal que está entrando. Essas barrinhas também
aparecem na barra de controle (F2), bem à direita. Uma barrinha para entrada Mono, duas barrinhas para Stereo.

Belezura, estamos prontos para gravar alguma coisa.


8. Gravando alguma coisa


Antes de apertar o REC, verifique se a pista está ativada para gravação. É o botão redondo que fica vermelho quando ativado:



Desative o Loop clicando no botão 'Cycle' (quando gravamos com o loop ativado, ao chegar ao fim da seleção o cursor volta para o começo, grava outro take e assim por diante - muito útil, mas não vamos usar agora)

Para que o Cubase pare a gravação exatamente no fim da seleção, vamos usar um recurso muito bacana chamado "Punch Out"

Clique logo embaixo da letra 'R' na barra de controle (F2) para ativá-lo.



Como você pode estar imaginando, se existe um Punch Out deve existir também um Punch
In
. Sim, é verdade. o Punch In faz com que a gravação comece automatica e exatamente no início da seleção. Como aqui o começo da seleção coincide com o início do projeto, não haverá necessidade de solicitarmos seus serviços. Em todo caso, quando você quiser usar o punch in, é só cliar no quadradinho abaixo do "L"

'Rebobine a fita' clicando no botão "|<" e mande ver o REC • | ou use o atalho * (asterisco no teclado numérico)

Se tudo certo, você deverá ver algo assim:



Maravilha verde. Que tal temperar esse vocal com alguns efeitos?


9. Inserindo efeitos numa pista de áudio


Efeitos são legais. Eu pessoalmente gosto muito daquele borboleta.
Pena que esse não podemos usar no Cubase, mas tudo bem, tem alguns outros da horinha também.

Então, vamos dar uma espiadela no painel de controle da pista, mais precisamente na seção 'Inserts'



Clique ali para abrir o painel de Inserts
Você verá então 8 slots, clique no primeiro e escolha, sei lá, um reverb, um chorus, você que manda.

Depois aperte barra de espaço para ouvir o resultado.

Para fazer alterações no efeito escolhido, é só clicar "e" que aparece na parte de cima do slot

Ao lado você tem outros 2 botões: um liga/desliga e um bypass - clique e veja o que eles fazem, caso você não saiba.



Inserts são muito importantes, já que permitem que você modifique o som em tempo real sem alterar o arquivo original, ou seja, é um processo não destrutivo.

Experimente adicionar outros efeitos nos slots que estão livres. É legal, vai, experimenta, experimenta!

*IMPORTANTE: no Cubase você não pode inserir efeitos de audio diretamente numa pista MIDI, mas você pode sim inserir os benditos na pista do VST que está sendo controlado pela pista midi, sacou?


10. Criando uma pista de efeitos usando SENDS


Já que falamos dos Inserts, temos que falar dos Sends também. Senão já viu, né? Um fica com ciúme do outro e é aquele bafão.

Sends nada mais são do que saídas adicionais que cada pista tem. Com eles você pode mandar o sinal de qualquer pista para outra e isso é muito útil quando queremos aplicar um mesmo efeito em pistas diferentes.

Imagine que você tem 5 pistas que vão ser tratadas com o mesmo reverb. Usar Inserts para colocar um reverb em cada pista é uma solução porém, é uma solução tosquera. Além de pesar mais no processador não é nada prático, caso você precise modificar alguma coisa, terá que fazer a mesma modificação 5 vezes.

Então, o que fazer? E agora, quem poderá nos ajudar? "EU! SENDS Colorado!"

Sim, basta criar sends nas 5 pistas e enviar tudo para uma outra pista que, aí sim, terá um Reverb no Insert que afetará os sinais de todas as pistas. Captou? Sentiu? Realizou? Então tá, dá uma olhada aqui pra ver onde eles ficam:



Clicando ali você verá também 8 slots de Sends. Clique em qualquer um para escolher para qual pista você quer enviar o sinal. No Cubase você só pode enviar os Sends para pistas de efeitos.

Para criar uma pista de efeitos, é aquela velha história de sempre:

Vá no menu Project ---> Add Track ---> Fx Channel | ou clique com o botão direito embaixo eas pistas e escolha "Add Fx Channel"

Escolha o efeito que você quer que a pista tenha e pronto, ela já vai aparecer como uma opção de para o envio de Sends.



No painel dos Sends você tem um botão liga/desliga e um controle de volume para você controlar quanto do sinal deve ir para o canal de efeitos.

Para alterar os efeitos, é só alterar os Inserts da pista de efeitos. Facim, facim.


11. Automação - olha mamãe, sem as mãos!

Chegou a hora de falar de automação e agora temos que falar também sobre responsabilidades, já que automação é um lance muito poderoso e, você sabe, grandes poderes trazem grandes responsabilidades, já dizia o tio Ben.

Com automação nós podemos programar como os parâmetros vão se comportar durante a música - o que é muito fera e fundamental também.

Vamos supor que você tenha um reverb na voz e queira que no refrão ele seja desligado, ou uma distorção na guitarra que deve ficar mais suja na última parte da música, ou simplesmente criar um fade-in no começo de sua (samba)canção.

Tudo isso e muito mais pode ser feito facilmente com automação.

Como exemplo aqui, vamos fazer uma coisa bem simples: um fade-out na voz que gravamos.

Clique com o botão direito na pista 'Vocal' e escolha 'Show Automation'

*OBS: No Cubase SX tem um pequeno sinal de '+' em um dos cantos das pistas e você pode clicar ali para abrir a parte de automação. Nessa versão que estamos usando parece que o '+' caiu fora da brincadeira. Mas, não dá nada.



Para ativar a automação, clique no "R" (de Read) que ficará verdinho quando ativado. Isso diz à pista que ela deve ler a automação e permite que você faça alterações no seu comportamento.

No campo onde diz 'Volume' você escolhe qual parâmetro você quer programar. Outras opções estão disponíveis como PAN, controle de inserts, sends etc

Pra quem não sabe, um fade-out nada mais é do que uma redução gradual do volume até o silêncio . Pois bem, a curva que nós criamos ali vai fazer exatamente isso.

E é isso. Dá pra imaginar as possibilidades? Espero que sim, porque não vamos falar de todas, né, tenha dó, pô.


12. Mixer

E pra quem estava se perguntando: Mas e o mixer? Chegou sua vez, my friend. É dele que vamos falar agora.

Aqui no nosso exemplo nós temos apenas algumas poucas pistas, mas durante uma música de verdade a coisa muda de figura e se você não tiver um bom mixer para gerenciar tudo, o desespero chegará até você, não tenha dúvida.

Aperte F3 para conhecer esse malungo.



Bom, não tem muito segredo agora. Você tem um controle de volume para cada pista, botões de mute, solo, controle de PAN e mais várias outras informações que não vamos detalhar aqui, afinal isso é só uma matéria, não um ensaio sobre a cegueira.

Mas fique tranquilo, não é nada que uma fuçadinha básica não resolva.

13. Renderizando sua obra prima

Depois que você tiver satisfeito com sua obra super sônica é hora de renderizar tudo isso, exportar para um único arquivo ou, às vezes, para vários, sei lá.

Antes de mais nada, verifique se a seleção está englobando toda sua música.

Para alterar a seleção você pode:

CNTRL + Click em cima da régua - para definir o marcador da esquerda

ALT + Click em cima da régua - para definir o marcador da direita

*DICA: se por acaso você inverter as bolas e deixar o marcador da esquerda na direita, por exemplo, o espaço entre eles ficará vermelho ao invés de azul.

OU ainda: selecione as partes e aperte "P" para mover os marcadores exatamente para os limites das partes selecionadas

Feito isso, vá no menu 'File' ---> 'Export' ---> 'Audio Mixdown'

Escolha as opções que mais lhe agradarem, aquelas que forem mais legais com você, que te oferecerem bolo e groselha e clique em OK.

É isso ae Campeão!

Assim chegamos ao fim de mais um matéria tri mega ultra duper master informativa e descolada. Esperamos que você tenha se divertido e aprendido alguma coisa também.

Isso não é tudo sobre o Cubase mas com certeza é um ótimo começo! Boa sorte, boa viagem, boa vida.

Tchau.

Equipe Áudio Brasil

[palavras-chave: cubase, tutorial, guia, básico, como usar, conhecendo, dicas, vsts, gravando, home studio, loop, aprendendo ]

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum